Sinalização de Segurança e Saúde no Trabalho

Postado por em agosto 12, 2016 em Materiais de Segurança e Saúde Ocupacional, Materiais para Ler e Baixar | 0 comentários

Sinalização de Segurança e Saúde no Trabalho

Sinalização de Segurança e Saúde no Trabalho - Por Heitor Borba

A sinalização de segurança da empresa deve ser precedida por Projeto de Sinalização  para determinação das necessidades e dimensionamento.

Copiar Placas de Segurança do Trabalho da internet não é uma boa ideia.  Não existe Placas de Segurança do Trabalho na net específicas para os postos de trabalho, atividades e riscos profissionais. Podemos aproveitar algumas placas de conteúdo geral, mas as placas dos postos de trabalhos (que são as mais importantes) devem ser projetadas. Para isso o profissional de segurança deve elaborar um Projeto de Sinalização de Segurança do Trabalho. Alguns exemplos de placas específicas de postos de trabalho você encontra neste site, com direito a baixar gratuitamente.

As placas dos postos de trabalho são as mais importante porque representam visualmente a execução dos Programas de Segurança e Saúde no Trabalho. Ou seja, são os Programas de Segurança executados. Lembrando que todos os dispositivos de segurança e saúde ocupacional  devem possuir coerência. Portanto, deve haver coerência dos Programas de Segurança (PPRA, PCMSO, PCA, PPR, PCMAT, etc) com:

a) Sinalização de Segurança (Placas, demarcações de piso, etc em harmonia com os Programas);

b) Ordem de Serviços (Os riscos e EPI que aparecem nas OS devem ser os mesmos indicados nos Programas e nas placas dos postos de trabalho, por exemplo);

c) Procedimentos de saúde e segurança (Idem) ;

d) Os EPI utilizados pelos trabalhadores nos postos de trabalho devem ser os mesmos que aparecem nas Placas de Segurança (Não pode aparecer a representação gráfica de um respirador de 1/4 de peça facial em silicone e com filtro frontal na placa e o trabalhador estar utilizando um respirador semi-descartável, por exemplo).

Quanto ao Projeto de Sinalização, o profissional da área deverá considerar:

a) Levantamento das necessidades de sinalização de acordo com as normas aplicáveis a sua atividade/operação;

b) Especificação das Tecnologias de Proteção contra Acidentes existentes na empresa;

c) Levantamento das necessidades de adequação ou aquisição de novas Tecnologias de Proteção Contra Acidentes;

e) Definições de áreas e de postos de trabalho fixos;

f) Levantamento qualitativo e quantitativo dos dispositivos de sinalização necessários;

g) Levantamento qualitativo e quantitativo dos materiais necessários;

g) Levantamento de custos mediante cotação de preços.

Segurança e Saúde do Trabalho é  prevenção. Pena que poucos  conheçam seu significado.

Você pode baixar alguns modelos (modelos) de Placas de Segurança do Trabalho aqui:

EPI OBRIGATÓRIOS PARA BETONEIRA

EPI OBRIGATÓRIOS PARA POLICORTE

EPI OBRIGATÓRIOS PARA SERRA CIRCULAR

A sinalização de segurança para fins ocupacionais, em especial a classificação, rotulagem preventiva e ficha com dados de segurança de produto químicos, deve atender a NR-26 e as Normas Técnicas oficiais, como as NBR da ABNT, específicas para finalidade a que se destinam.

 As cores utilizadas na segurança ocupacional devem ser adotadas com a finalidade de indicar e advertir acerca dos riscos existentes. Quando as cores forem utilizadas nos locais de trabalho objetivando a identificação de equipamentos de segurança, delimitação de áreas, identificação de tubulações empregadas para a condução de líquidos e gases e advertência contra riscos, devem atender ao disposto nas normas técnicas oficiais. A utilização de cores deve ser empregada como medida preventiva complementar e não dispensa o emprego de outras formas de prevenção de acidentes. A utilização de cores deve ser de forma racional e reduzida, a fim de não ocasionar distração, confusão e fadiga ao trabalhador.

A empresa deve assegurar o acesso dos trabalhadores às Fichas de Informações de Segurança de Produtos Químicos – FISPQ utilizadas no local de trabalho e promover treinamento para que os mesmos possam:

a)    Compreender a rotulagem preventiva e a ficha com dados de segurança dos produtos químicos;

b)    Conhecer os perigos, riscos, medidas preventivas para o uso seguro, como também, os procedimentos para atuação em situações de emergência com os produtos químicos.

A empresa também deve isolar e sinalizar as áreas de riscos, delimitando-as, de modo que os trabalhadores e os visitantes tenham ciência sobre:

a)    Quais são as áreas de segurança (que não precisam fazer uso de EPI);

b)    Quais são as áreas de riscos, quais são os riscos e quais EPI devem ser utilizados na área;

c)    A linha delimitadora entre a área de risco e de segurança.

A Sinalização de Segurança consiste em demarcações de pisos e paredes, máquinas e equipamentos; sinais sonoros e luminosos e placas de segurança. Deve possuir coerência com os Programas de Segurança e Saúde, Ordens de Serviços e demais procedimentos. Ou seja, Sinalização de Segurança, incluindo placas, requer Projeto específico e não deve ser copiada da internete. Placas de segurança copiadas não atendem as atividades, riscos e EPI específicos dos postos de trabalho.

Finalizando, Sinalização de Segurança NÃO é trabalho de curioso, mas de profissionais de Segurança e Saúde no Trabalho.

Webgrafia:

http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR26.pdf

http://www.newmidiapropaganda.com.br/SME/NBR7195_Cores_para_seguranca.pdf

http://www.gmfmontagens.com.br/assets/content/downloads/2061c032257a56b631877882dc030d66.pdf

http://www.abnt.org.br/normalizacao/abnt-catalogo

Artigos relacionados:

Sistema de Comunicação Organizacional (SCO)

Coerência documental em Segurança e Saúde Ocupacional

♪♫♩♫♭♪ As cores, significado das cores… ♪♫♩♫♭♪

Diamante de Hommel

Boa Gestão de Segurança e Saúde do Trabalho na sua empresa.

Enviar comentário