Contaminação de alimentos já é fato no Brasil

Postado por em maio 14, 2020 em Artigos Técnicos, Materiais para Ler e Baixar | 0 comentários

Contaminação de alimentos já é fato no Brasil

Contaminação de alimentos já é fato no Brasil – Por Heitor Borba

 

Conforme relatei (o que todo mundo já sabia) em meu artigo “Como as empresas podem retornar em meio a pandemia?”, aconteceu.

A profetizada incompetência relatada no artigo citado acima agora é fato. A segurança é alimentar, de alimentos e ocupacional, mas ninguém escuta falar de NR-32, NR-06/EPI, CIPA, SESMT, PPR, EPC, ANVISA/POPBoas Práticas nos Serviços de Alimentação e Programas de Gerenciamento de Riscos Ocupacionais Para Prevenção a COVID-19 por parte do governo. As empresas, por outro lado, estão fazendo o que podem diante da falta de recursos, estudos científicos e diretrizes do governo. O governo de PE, por exemplo, disse que máscaras caseiras são EPI e devem ser utilizadas por trabalhadores. Temos todos os profissionais e especialistas, bem como, todo o arcabouço técnico, cientifico e legal, mas a ignorância faz com que nada disso exista. Vídeos de “especialistas” que nunca ouviram falar da sopinha de letras acima viralizam nas redes sociais com dicas “importantes” para proteção a COVID-19. Tem até artista ensinando coisas estúpidas para seu gado (misturar álcool 40% + álcool 40% não dá álcool 80% e se diluir álcool 70% em gel não teremos mais álcool 70%).

Alguns profissionais de Segurança e Saúde Ocupacional estão induzindo as empresas a patrocinarem supostas medidas preventivas sem nenhuma eficiência ou que oferecem riscos aos trabalhadores. E algumas são bem caras. Como é o caso da desinfecção de pessoas em ambientes públicos e hospitais. São os profissionais que se informam em redes sociais e não verificam as fontes (ou verificam e não sabem diferenciar o que é confiável e o que não é). Com isso, algumas empresas estão jogando dinheiro fora achando que estão investindo no combate ao coronavírus. Há muitas informações falsas nas redes sociais. Antes de passar para a empresa, o responsável deve verificar as informações. Na verdade, nenhuma medida preventiva isolada ou individual funciona (como é o caso das barreiras em acrílico dos supermercados). Segurança e Saúde Ocupacional são áreas multidisciplinares e é assim que devem ser tratadas em todo processo de planejamento, execução e monitoramento.

Agora vamos pagar mais esse pato. E a um preço muito alto. Os alimentos estão contaminados. Embora não exista evidencia de contaminação direta (ou por via enteral/ingestão) do coronavírus por alimentos, considerando que as vias principais de transmissão são respiratórias (ar) e mucosas (contato), devemos considerar preventivamente os alimentos e suas embalagens como agentes transmissores (inclusive, nessas duas vias principais de transmissão). Sim, há possibilidade de contaminação em função da ingestão ou contato com alimentos e embalagens. Proteína animal agora deve ser bem cozida ou assada. Alimentos que se comem crus e não se podem lavar (farinha, polenta, etc), nem pensar. Frutas e verduras que se comem cruas devem ser lavadas com água e sabão, enxaguadas e depois colocadas na solução de vinagre ou hipoclorito. Pães, bolos e bolachas artesanais devem ser postas no forno ou micro-ondas antes de comer. As embalagens dos alimentos devem ser lavadas com água e sabão ou descartadas. Como ninguém se mexeu de forma preventiva, tardiamente, o órgão competente (MPT) entrou em ação exigindo o Plano de Contingenciamento e/ou Prevenção de Infecções e Transmissibilidade.

Com tanta idiotice, frescura e mi, mi, mi, a impressão que pessoas mais velhas (como eu) tem é a de que aquele mundo que elas conheciam não existe mais. Enquanto a coisa se complica, os políticos brigam pelo poder. E a preocupação maior é com a contaminação dos carros, que estão proibidos de se aglomerar. Só falta agora criar oficinas de campanha. Com o rodízio imposto, o povo se aglomera no transporte público, em taxis e nos UBER da vida. E daí eu pergunto: qual é o risco que corre um cidadão (de contaminar ou de ser contaminado) dentro do seu veículo, sozinho, com os vidros fechados e utilizando o ar interno? Se bem que alguns que fazem parte dos 92% não entenderam bem a orientação e dirigem seus carros sozinhos e com os vidros abertos. Mas estão protegidos porque usam máscaras caseiras (SQN). Sim, eu sei como combater essa pandemia de forma eficiente e eficaz. Não sou incompetente que nem os políticos e seus assessores formados por apadrinhados políticos. E não cobro pela assessoria para não ter que pagar propinas. Não quero a PF batendo em minha porta às 6 h da manhã. Calma que não vai passar e nem vai melhorar (exceto, se encontrarem uma vacina). Estamos nas mãos da tão odiada ciência, que ameaça a fé das pessoas elaborando vacinas com base na Teoria Sintética da Evolução (TE).

Artigos relacionados:

Nova Portaria sobre EPI

Como as empresas podem retornar em meio a pandemia?

ABNT lança guia para fabricação e uso de máscaras artesanais

Enganação das máscaras chega em Pernambuco

Posição dos canos (punhos e caneleiras) de luvas e botas

Eficácia dos protetores faciais no combate ao coronavírus

Eficácia das máscaras caseiras

Mais três meses de quarentena?

Decameron: As duas faces de uma tragédia

Enviar comentário