Exposições ocupacionais a substancias ototóxicas

Postado por em julho 20, 2016 em Materiais de Segurança e Saúde Ocupacional, Materiais para Ler e Baixar | 0 comentários

Exposições ocupacionais a substancias ototóxicas

Exposições ocupacionais a substancias ototóxicas – Por Heitor Borba

 

Trabalhadores expostos a substancias ototóxicas podem desenvolver doenças como a labirintite e até perdas auditivas, mesmo sem exposições a níveis de ruído elevado.

A hipoacusia ototóxica ou perda da audição ototóxica é a perda auditiva, do tipo neurossensorial, induzida por substâncias químicas de origem endógena ou exógena. O efeito ototóxico pode alcançar, também, com frequência, o aparelho do equilíbrio.

Para um diagnóstico eficiente de perdas auditivas neurossensoriais ototóxicas o Médico do Trabalho Examinador deverá possuir acesso a todo histórico das exposições ocupacionais do paciente a ruídos e agentes ototóxicos. Esse histórico deverá compreender os exames audiométricos juntamente com outros exames relacionados, anamnese do trabalhador, queixas, PPRA e levantamento ambiental do local de trabalho.

As medidas de controle ambiental com o objetivo de neutralizar ou reduzir as exposições a substancias ototóxicas a patamares seguros compreendem:

a)    Enclausuramento de processos e isolamento de setores de trabalho, se possível utilizando sistemas hermeticamente fechados;

b)    Aplicação das Normas de Higiene e Segurança Ocupacional de forma adequada;

c)    Projeto e instalação de sistemas de ventilação exaustora adequados e eficientes;

d)    Monitoramento sistemático das concentrações no ar ambiente;

e)    Adoção de medidas administrativas ou de organização do trabalho, como por exemplo, redução do número de trabalhadores expostos e do tempo de exposição;

f)     Medidas de limpeza geral dos ambientes de trabalho e facilidades para higiene pessoal (recursos para banhos, lavagem das mãos, braços, rosto e troca de vestuário);

g)    Fornecimento de EPI;

h)    Substituição de substancias por outras atóxicas ou de menor toxidade.

As medidas preventivas de medicina ocupacional para prevenção das patologias são:

a)    Avaliação clínica com pesquisa de sinais e sintomas otoneurológicos, por meio de protocolo padronizado e exame físico criterioso;

b)    Exames complementares orientados pela exposição ocupacional;

c)    Informações epidemiológicas;

d)    Análises toxicológicas;

e)    Afastamento imediato do trabalhador do ambiente de trabalho contaminado até que as medidas de segurança do trabalho sejam executadas e comprovadas como eficazes.

Dentre outros critérios estabelecidos pela NR-07 a perda auditiva ocupacional é sempre bilateral.

Hipoacusia Ototóxica:

Perda auditiva do tipo neurossensorial, induzida por substâncias químicas de origem endógena ou exógena. O efeito ototóxico pode lesar o aparelho do equilíbrio (manifestações vestibulares);

Fatores Endógenos:

Ação de toxinas bacterianas, nefropatias e diabetes como indutores de perda auditiva;

Fatores Exógenos:

Ação de Substâncias Ototóxicas;

Patogênese e sintomatologia ototóxica:

a) Tinido (geralmente aparecendo como o primeiro sintoma);

b) Perda auditiva (surdez neurossensorial inicialmente para tons agudos e posteriormente evolui para os demais: Frequências altas => médias => inferiores. Sempre bilateralmente);

c) Vertigem posicional (associada a náuseas);

d) Distúrbios do equilíbrio, com vertigem e instabilidade de marcha (deambulação);

e) Osciloscopia (Fraqueza de fixação devida a um distúrbio do reflexo vestibulococlear)

A seguir, tabela contendo as principais substâncias ototóxicas utilizadas nas industriais:

Tabela substancias ototóxicas

 

As substâncias que penetram no organismo também por via cutânea são:

-Álcool Butílico;

-Cádmio;

-Chumbo;

-Manganês;

-Mercúrio;

-Estireno;

-Hexano;

-Tolueno;

-Xileno;

-Dissulfeto de Carbono e Tricloroetileno.

Os profissionais da área de Segurança e Saúde Ocupacional devem ser alertados sobre os efeitos combinados acerca das exposições ao ruído e a substâncias ototóxicas.

Levando-se em conta os riscos iminentes das exposições dos trabalhadores as substancias ototóxicas utilizadas nos processos de produção, fica evidente que as empresas também devem adequar seus Programas de Segurança e Saúde no Trabalho, como o PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional e o PCA – Programa de Conservação Auditiva, a esses riscos. Tal adequação deve ocorrer através do reconhecimento, quantificação, dimensionamento das exposições e prescrição das medidas preventivas necessárias e suficientes para neutralização ou redução das exposições dos trabalhadores a patamares seguros.

Webgrafia:                      

Bowler & Cone, 2001; Morata Et al, 1994; Ministério da Saúde do Brasil, 2001; PATNAIK, 2002; GABAS, 2004;

http://heitorborbasolucoes.com.br/wp-content/uploads/2013/01/doencas_trabalho2.pdf

http://acesso.mte.gov.br/data/files/FF80808148EC2E5E014961B76D3533A2/NR-09%20(atualizada%202014)%20II.pdf

http://www.scielo.br/pdf/iao/v16n2/v16n2a15

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-80342012000400007

http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-16731999000100005

Artigos relacionados:

Gestão de resultados de exames médicos ocupacionais fora da esfera médica

HIDROCARBONETOS E OUTROS COMPOSTOS DE CARBONO (Ver continuação nas edições posteriores)

OPERAÇÕES DIVERSAS (ANEXO 13 DA NR-15) (Ver continuação nas edições posteriores)

As doenças das manicures/pedicures

A toxidade de alguns produtos utilizados no cotidiano

Neblinas, névoas, gases e vapores

Um pouco de toxicologia ocupacional

Metabolização do xileno e do tolueno no organismo humano

Soluções neutralizantes para produtos químicos

Os riscos da Corrosão (Ver continuação nas edições posteriores)

Riscos Químicos na Construção Civil (Ver continuação nas edições posteriores)

A sintomatologia como ferramenta de gestão de riscos ocupacionais

Insalubridade X Avaliação qualitativa de agentes químicos

Utilização de tubos indicadores colorimétricos ou de leitura direta

Amostradores passivos

Produtos químicos como fatores de risco

Exposições ocupacionais ao negro de fumo

Sílica livre cristalizada

Saturnismo

Citações de agentes químicos no PPP

Líquidos combustíveis e inflamáveis e gases inflamáveis

Os níveis do Nível de Ação Preventiva

A química da segurança

Exposições ocupacionais a poeiras orgânicas

Parecer Técnico de Contestação de Laudo Pericial de Insalubridade por Exposição a Tintas Eletrostáticas

Diamante de Hommel

Exposições ocupacionais aos solventes

Características gerais físicas e biológicas das substancias tóxicas

0 Comentário

Trackbacks/Pingbacks

  1. Emprego de defensivos derivados do ácido carbônico - Heitor Borba Soluções | Heitor Borba Soluções - [...] Exposições ocupacionais a substancias ototóxicas [...]
  2. A importância do monitoramento ambiental - Heitor Borba Soluções | Heitor Borba Soluções - [...] Exposições ocupacionais a substancias ototóxicas [...]

Enviar comentário