Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional eficiente e eficaz

Postado por em janeiro 20, 2017 em Materiais de Segurança e Saúde Ocupacional, Materiais para Ler e Baixar | 0 comentários

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional eficiente e eficaz

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional eficiente e eficaz – Por Heitor Borba

 

Gestão parcial e desintegrada ocasiona a perda total ou parcial dos investimentos aplicados. Gestão eficiente e eficaz é a gestão que consegue ser completa em cada processo e integralizadora de todos os sistemas relacionados.

Geralmente o que temos nas organizações são gestões incompletas e individuais de processos e sem integralização com os demais sistemas relacionados. Na área de Segurança e Saúde Ocupacional (SSO) o negócio não é diferente. Ocorre que se determinada organização investe pesado em seu sistema de gestão consequentemente vai agregar resultados positivos e com impactos diretos nos níveis operacionais e administrativos. Não se justifica, por exemplo, altos investimentos na área de SSO e ainda ser obrigado a custear a insalubridade e as atividades especiais dos trabalhadores. Ainda pior são os custos decorrentes de processos judiciais relacionados a acidentes de trabalho e a doenças ocupacionais. Lembrando que os conceitos de vantagem e desvantagem (perdas, ganhos, agregação de valor) podem ser aplicados em qualquer sistema de gestão e não somente em SGSSO.

Um Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (SGSSO) eficiente e eficaz deve ser iniciado com planejamento devidamente negociado com o patrocinador do sistema: o proprietário da empresa. Sem o envolvimento da alta direção é impossível gerar e gerir uma gestão eficiente e eficaz. Mas para isso é necessário que o responsável pela implantação do sistema consiga passar as informações corretas para o empregador. É necessário que o profissional saiba vender seu peixe, ou seja, informar claramente as vantagens de se implantar um SGSSO eficiente e eficaz e a desvantagem do contraditório. As informações básicas que devem ser passadas para a alta direção são:

a)    Onde a organização se encontra do ponto de vista ocupacional;

b)    Os prejuízos decorrentes da ausência de um sistema de gestão;

c)    O que a organização precisa fazer para gerar e gerir um SGSSO;

d)    As vantagens decorrentes da implantação de um SGSSO;

e)    Os investimentos necessários para implantação de um SGSSO.

ONDE A ORGANIZAÇÃO SE ENCONTRA DO PONTO DE VISTA OCUPACIONAL

Essa informação pode ser conseguida através de uma auditoria realizada por profissional idôneo da área de segurança e saúde ocupacional. As falhas mais comuns são:

a)    Tecnologia de Proteção Contra Acidentes ineficiente;

b)    Ausência de dimensionamento das exposições dos trabalhadores aos agentes nocivos;

c)    Ausência ou deficiência na geração dos registros das evidências;

d)    Ausência ou deficiência quanto a aptidão, capacitação/qualificação e autorização dos trabalhadores;

e)    Deficiência na consultoria responsável pela gestão.

OS PREJUÍZOS DECORRENTES DA AUSÊNCIA DE UM SISTEMA DE GESTÃO

Não basta implantar um Sistema de Gestão Integrada, mas um que seja eficiente e eficaz. Os prejuízos mais comuns causados por Sistemas de Gestão deficientes são:

a)    Custos desnecessários com Tecnologias de Proteção Contra Acidentes, exames médicos ocupacionais e pagamentos de indenizações e adicionais da área de Segurança e Saúde Ocupacional prescritos em lei;

b)    Gargalos da produção ocasionados por deficiência de lay outs, absenteísmos, acidentes e incidentes, falta de planejamento ou de proatividade, falta de aptidão, capacitação/qualificação de trabalhadores, etc

c)    Deficiência na qualidade dos produtos ou serviços acabados;

d)    Alto índice de retrabalho;

e)    Prejuízo da imagem da empresa;

f)     Impedimento de participação em licitações (se for o caso).

O QUE A ORGANIZAÇÃO PRECISA FAZER PARA GERAR E GERIR UM SGSSO

Definir por meio de um Plano de Ação, passo a passo, em ordem hierárquica e prioridades, as ações necessárias para implantação de um SGSSO eficiente e eficaz. O primeiro passo é a elaboração do Planejamento Estratégico junto a alta direção. Após isso, devem ser declinadas as demais ações, até o nível operacional. No Planejamento Estratégico devem ser levados em consideração aspectos como:

a)    Situação financeira da empresa;

b)    Política, visão e missão de SSO;

c)    Clientes internos e externos;

d)    Investimentos necessários;

e)    Prioridades, metas previstas e resultados esperados.

AS VANTAGENS DECORRENTES DA IMPLANTAÇÃO DE UM SGSSO

Não existe desvantagem na implantação de um SGSSO. No entanto é preciso tomar cuidado com as paixões. SGSSO deve ser um projeto desapaixonado e o mais realista possível, de modo que as ações planejadas possam realmente ser executadas pela empresa. Empresas construtoras que possuam obras diversificadas e de curta duração devem possuir procedimentos mais generalizados, por exemplo. Nessas empresas a gestão de situações específicas deve ser realizada através de formulários que permitam tal flexibilidade. Mas sem obedecendo a um procedimento geral preestabelecido.

Podemos salientar as principais vantagens da implantação de um SGSSO eficiente e eficaz:

a)    Redução de custos de produção devido a otimização de processos;

b)    Redução de passivos em função de reclamações trabalhistas, multas, absenteísmos, acidente de trabalho, danos ao patrimônio, etc

c)    Aumento da produção com melhoria da qualidade.

Um exemplo simples de otimização de serviços: Em visita a uma empresa de confecção de roupas, cuja função de costureira era formada por efetivo predominantemente feminino, com faixa etária compreendida entre 30-50 anos, pude observar que havia muita demora na colocação da linha na agulha da máquina, que quebrava com frequência. Ao estudar o caso descobrir que a maioria das costureiras tinham problemas de visão e a iluminação ambiente não era adequada para a atividade. Também estava havendo um atraso no percurso da linha entre o carretel e a agulha. Os passadores estavam enferrujados e danificados ocasionando a quebra frequente da linha. Após substituição dos passadores, encaminhamento dos funcionários para o oftalmologista com financiamento de óculos e elaboração e execução da Análise Ergonômica no Trabalho (AET) a produção aumentou consideravelmente. Desnecessário falar que o aumento da produção foi acompanhado pelo aumento da satisfação e redução do impacto na saúde dos trabalhadores (que faltavam menos ao trabalho e ganhavam mais).

OS INVESTIMENTOS NECESSÁRIOS PARA IMPLANTAÇÃO DE UM SGSSO

SGSSO não é coisa barata. Por isso deve sempre ser um investimento e não um gasto. As empresas que estão perdendo dinheiro com o seu SGSSO estão investindo errado. SGSSO deve impactar diretamente nos processos produtivos e de forma positiva. Os investimentos básicos a serem aplicados em um SGSSO são:

a)     Auditoria;

b)    Profissionais especializados;

c)    Projetos;

d)    Equipamentos;

e)    Capacitação e qualificação;

f)     Execução.

Propositalmente não especifiquei os elementos componentes dos itens acima. Isso depende de cada empresa, cujas deficiências devem ser apontadas na auditoria. A auditoria deve ser completa: Planejamentos, processos, procedimentos, profissionais e implantação.

Para implantação de um SGSSO é necessário em primeiro lugar escolher profissionais capacitados, além de habilitados. Em segundo lugar a empresa deve abraçar a causa, com cem por cento de comprometimento. Sem esses dois rudimentos é impossível implantar um SGSSO decente, quanto mais um Sistema de Gestão Integrada – SGI (Qualidade, Segurança, Saúde e Meio Ambiente). Recomendo implantar os Sistemas inicialmente separados, mas já com a documentação formatada para atendimento de todos os Sistemas (integralizada). E somente após constatação de que os Sistemas estão funcionando separadamente, proceder a integralização. Nessa fase, porém, vai ocorrer inicialmente a existência de três documentos com registro da mesma ocorrência, mas que aos poucos vão desaparecendo com a integralização.

Para ter um SGSSO bem sucedido é necessário uma cultura organizacional estabelecida. Quando não se tem apela-se para a conscientização da vantagem. Desse modo, o conhecimento do estágio de maturidade da cultura de segurança na organização é condição essencial para adotar as medidas necessárias para o sucesso deste sistema.

Boa gestão.

Webgrafia:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-530X2011000100015&lng=pt&nrm=iso

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19652009000300006&lng=pt&nrm=iso

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392003000200002

Artigos relacionados:

Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho em empresas de apoio e produtos para a saúde humana

Elaboradores de Programas de Segurança do Trabalho podem ser punidos por informações falsas

Sinalização de Segurança e Saúde no Trabalho

A importância do monitoramento ambiental

A importância do Plano de Ação no gerenciamento de projetos

Gestão de resultados de exames médicos ocupacionais fora da esfera médica

A toxidade de alguns produtos utilizados no cotidiano

Planejamento Empresarial

NR-01 e as Ordens de Serviços

Coerência documental em Segurança e Saúde Ocupacional

Alguns indícios de PPRA causador de prejuízo para empresa e trabalhadores

Os médicos do PCMSO

Cronograma de Ações do PPRA

Um pouco de toxicologia ocupacional

A sintomatologia como ferramenta de gestão de riscos ocupacionais

Insalubridade X Avaliação qualitativa de agentes químicos

Os níveis do Nível de Ação Preventiva

Enviar comentário