♪♫♩♫♭♪ As cores, significado das cores… ♪♫♩♫♭♪

Postado por em outubro 17, 2014 em Artigos Técnicos, Materiais para Ler e Baixar | 0 comentários

♪♫♩♫♭♪ As cores, significado das cores… ♪♫♩♫♭♪

As cores, significado das cores – Por Heitor Borba.

Quando estava na faculdade, pude vivenciar um fenômeno cromológico que na época causou-me espanto. Da sacada do primeiro andar da edificação e com sol intenso sobre o jardim, parei para observar as flores do jardim do pátio central. Eram flores pequenas e de um amarelo forte, cujo nome não me lembro. Fitei os olhos por alguns segundos nessas flores e depois desviei o olhar para a calçada de cor clara, ao lado do jardim. Para minha surpresa, pude visualizar as silhuetas das flores sobre a calçada, mas na cor violeta e não amarela. Após questionar professores de física, química e biologia, nenhum deles pode explicar de forma satisfatória esse fenômeno. Ao estudar cromologia, uma ciência apaixonante, pude finalmente entender esse fenômeno.

As cores que percebemos em nosso convívio também podem ocasionar acidentes e perturbações mentais, de caráter fisiológico, psíquico ou psicológico.

Cromologia é a ciência que estuda as reações humanas diante das cores. A cor pode ser definida como uma película formada por milhões de “espelhinhos” que refletem as três cores primárias da luz: Amarelo, azul e vermelho. Essas três emissões de luzes, digo luzes, porque cores são luzes, percebidas pelos nervos sensitivos dos nossos olhos, juntam-se no cérebro e formam todas as outras cores secundárias, terciárias, etc

Cromologia no ambiente de trabalho

 As cores dos ambientes de trabalho podem ocasionar acidentes e perturbações mentais, de caráter fisiológico, psíquico ou psicológico.

Cromologia é a ciência que estuda as reações humanas diante das cores. A cor pode ser definida como uma película formada por milhões de “espelhinhos” que refletem as três cores primárias da luz: Amarelo, azul e vermelho. Essas três emissões de luzes, digo luzes, porque cores são luzes, percebidas pelos nervos sensitivos dos nossos olhos, juntam-se no cérebro e formam todas as outras cores secundárias, terciárias, etc

As cores emitidas são percebidas pelos cones colorativos. Cones colorativos são nervos óticos sensíveis as cores e estão localizados dentro do globo ocular, cuja finalidade é captar as luzes das três cores primárias. Cada olho possui cerca de 7 x 106 cones colorativos.

Existe um tipo de cone colorativo para cada cor primária: O cone do Amarelo, do azul e do vermelho. Cada cone ou nervo ótico vibra na presença da luz emitida em sua cor. Essas vibrações são transmitidas ao cérebro em forma de sinais elétricos, processados e interpretados pelo cérebro em forma de cor.

Já os bastonetes, nervos semelhantes aos cones colorativos, vibram quando percebem o branco, o preto e as três dimensões. São da ordem de 130 x 106 em cada olho.

Assim se dá o mecanismo da visão das cores, das luzes e das dimensões das coisas.

Quando uma cor é intensa (com muita emissão de luz), os cones colorativos correspondentes a percepção daquela cor vibram intensamente até a fadiga. Quando isso ocorre, essa cor deixa de ser percebida pelos nervos óticos, permanecendo no cérebro apenas a imagem anterior gravada.

Essa fadiga pode ser fatal em certos tipos de atividades. Como é o caso do médico cirurgião, que deixa de perceber sangramentos e até objetos no interior do corpo humano. Esse fenômeno ocorre quando o médico passa muito tempo mirando o ponto da cirurgia, geralmente sob luz intensa. Os cones colorativos do vermelho, cor do sangue, cansam e deixam de vibrar e transmitir ao cérebro do cirurgião a imagem em tempo real, fazendo com que o mesmo não perceba o que ocorre em cada instante da sua ação. Porém, ao levantar os olhos em direção a equipe cirúrgica, automaticamente ocorre o desbloqueio dos cones do vermelho. Por quê? Porque as vestimentas são geralmente nas cores opostas a cor do sangue. Azul claro e verde claro são as cores de contraste do vermelho sangue e do alaranjado da carne humana. Ou seja, no momento em que o profissional vê a cor oposta, descansa seus cones colorativos, voltando a enxergar normalmente o ponto da cirurgia.

A estrela de Göethe demonstra as cores primárias, secundárias e opostas.

FOTO ESTRELA DE GOETHE

 Cores primárias: Amarelo (AM), azul (AZ) e vermelho (VM);

Cores secundárias: Laranja (la), verde (vd) e violeta (vi) –  Resulta da união das cores primárias. Ex. Amarelo + Azul = Verde;

Cores opostas: Do amarelo é o violeta, do azul é o laranja, do vermelho é o verde, e assim por diante.

O centro da estrela encontra-se o cinza (CI);

O preto é a ausência de luz ou de cor;

O branco é a união de todas as cores;

Se o ponto de observação permanente de um trabalhador é verde, a parede em frente deverá ser vermelha ou possuir um quadrado pintado de vermelho, a fim de evitar a fadiga visual desse trabalhador.

Essa fadiga visual ocorre muito em atividades realizadas em serviços de caixa de pagamentos, em operação de máquinas, motoristas, revisores, etc

Geralmente os erros são atribuídos a incompetência do funcionário, fazendo com que a empresa desconte do salário desse trabalhador o prejuízo resultante desse erro.

 

 SIGNIFICADO DAS CORES

Amarelo:

Cor estimulante. Se usado em excesso, pode se tornar cansativo e provocar dor de cabeça de origem psicológica;

Azul:

Relaxa, provoca sono e acalma;

Laranja:

Cor estimulante. Sugere ação, entusiasmo e força;

Rosa:

Acalma e relaxa modradamente. Está associada a feminilidade e delicadeza;

Verde:

Tranquilidade, paz, abre o intelecto promove  bem-estar, mas em tons escuros pode deprimir.

Vermelho:

Cor muito estimulante e sugere calor, excitação, entusiasmo, dinamismo e ação. Se usado em excesso, pode irritar e despertar violência;

Violeta:

Cor hipnotizante e sugere falta de concentração e preguiça mental. O excesso torna o ambiente desestimulante. Assim como ocorre com o vermelho, com o azul-escuro e com o verde-escuro, não é recomendado o uso do violeta em grandes áreas.

 

CURIOSIDADES:

Para comprovação da teoria de que o branco é a união de todas as cores, além da decomposição do espectro eletromagnético por meio de prismas, podemos também fazer uso do disco de Newton. Girando-se o disco de Newton a cor resultante será aproximada a cor branca.

Outro exemplo de decomposição da luz solar é o arco-íris, onde a luz é decomposta ao passar através de milhares de gotículas de água em suspensão na atmosfera.

FOTO DISCO NEWTON

 COMPROVAÇÃO DA FADIGA VISUAL

 Olhando   fixamente   por   alguns segundos para as figuras abaixo você causará a fadiga dos nervos óticos responsáveis pela percepção da cor na figura. Se você mudar rapidamente o olhar  para a área da página em branco, verá a silhueta da figura, porém, na cor oposta, conforme a estrela de Goethe.

Exemplo, fixando o olhar na figura amarela, causará a fadiga dos cones responsáveis pela percepção do amarelo, “fechando” os mesmos, resultando ativos apenas os cones responsáveis pela percepção do azul e do vermelho que, juntando os impulsos nervosos desses dois no cérebro, produzirá a sensação da cor violeta (pela estrela de Goethe, juntando-se as cores primárias azul e vermelha resulta na cor secundária violeta). Essa é a cor da figura que você verá quando mudar o olhar para a área neutra.

Faça a experiência.

FOTO QUADRO AMARELO

WEBGRAFIA:

http://pt.wix.com/blog/2013/07/efeito-cores-local-trabalho/

 http://www.iar.unicamp.br/lab/luz/ld/Arquitetural/livros/ergonomia_e_cor_nos_ambientes_e_locais_de_trabalho.pdf

 http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=40&Cod=525

 http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40141993000300007&script=sci_arttext

 http://www.fisfar.ufc.br/v2/graduacao/arquivo_aulas/leticia/fisiologia_visao.pdf

 http://pt.wikipedia.org/wiki/Cone_(c%C3%A9lula)

Enviar comentário