Posição dos canos (punhos e caneleiras) de luvas e botas

Postado por em abril 23, 2020 em Artigos Técnicos, Materiais para Ler e Baixar | 0 comentários

Posição dos canos (punhos e caneleiras) de luvas e botas

Posição dos canos (punhos e caneleiras) de luvas e botas – Por Heitor Borba

 

Os punhos das luvas e as caneleiras das botas devem ser utilizados por dentro ou por fora da roupa?

A NR-06 não apresenta procedimentos técnicos para utilização de EPI. Apenas diz que a empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento. Isso porque a indicação e os procedimentos técnicos para uso de EPI dependem das características da exposição aos agentes de risco.

Então esse procedimento de uso de luvas e botas depende das características do EPI e do agente nocivo e do posicionamento da fonte do risco em relação a linha dos ombros.

LUVAS

Se o agente de risco for líquido ou poeira/talco e a atividade ou operação for realizada com as mãos levantadas acima da linha dos ombros (fonte do risco situada acima dos ombros), as luvas devem ser posicionadas por cima das mangas da roupa.

Se o agente de risco for líquido ou poeira/talco e a atividade ou operação for realizada com as mãos abaixo da linha dos ombros (fonte do risco situada abaixo dos ombros), as luvas devem ser posicionadas por baixo das mangas da roupa.

O ideal é a utilização de punhos de luvas e mangas com elástico nas extremidades.

Para líquidos, isso só funciona de forma eficiente se a roupa for impermeável. Se a roupar não for do tipo impermeável um respingo no braço vai passar através do tecido e entrar em contado com o usuário.

No caso de roupas impermeáveis conjugadas, com mangas coladas nas luvas (luvas extensivas das mangas), as luvas adicionais vão sempre ser utilizadas por cima das mangas.

BOTAS

Utilizar as pernas das calças ou macacão sempre por fora das botas, exceto, se a roupa for do tipo conjugada, com as botas integradas nas pernas da roupa. Esse tipo de macacão impermeável possui as botas coladas nas pernas, como se fosse a extensão das pernas. Essas “botas” são mais finas e de pouca resistência e por isso devem ser utilizadas com botas de PVC.

Em pisos alagados ou enlameados, onde o nível do alagamento ou da lama é controlado e fica abaixo da altura dos canos das botas, as pernas das calças devem ser inseridas dentro dos canos das botas para evitar contaminação (principalmente se for calças de tecido comum, não impermeáveis).

Para níveis de lama ou água acima da altura dos canos das botas, devem ser utilizados macacões em PVC conjugados, com luvas (se necessário) e botas acoplados ao mesmo. Mesmo para os macacões do tipo conjugado, com luvas e botas acopladas ao mesmo, devem ser utilizadas outras luvas e botas sobre as do macacão.

Para agentes biológicos utilizar macacão impermeável dotado por capuz com elástico circundantes da face e os demais EPI aplicáveis.

Para exposição a gases ou vapores ácidos ou cáusticos utilizar macacão impermeável conjugado com luvas, botas e capuz com elástico circundante da face e os demais EPI aplicáveis. Caso não tenha o macacão conjugado com luvas ou botas, utilizar as luvas e botas presas as mangas e pernas do macacão por meio de fitas adesivas.

O ideal é a utilização de pernas de calças e canos de botas com elástico nas extremidades. Também deve ser verificada a compatibilidade entre EPI.

Artigos relacionados:

Eficácia das máscaras caseiras

Eficácia dos protetores faciais no combate ao coronavírus

Exposição ocupacional ao ruído gera Aposentadoria Especial, mesmo com uso de EPI

O empregador é responsável pela higienização do fardamento dos trabalhadores?

EPI não evitam acidentes e são desconfortáveis

 

Enviar comentário